Caso Valério Luiz: Dois dirigentes de clube goiano devem depor hoje e amanhã, quando serão ouvidos pela polícia:



OS DEPOIMENTOS DEVEM OCORRER NESTA QUINTA E SEXTA-FEIRA


As investigações em torno do assassinato do Jornalista Valério Luiz de Oliveira ficaram prejudicadas devido a greve da Polícia Civil de Goiás mas parece que agora as investigações irão prosseguir pois dois dirigentes do Atlético Clube Goianiense irão depor nesta quinta-feira e na sexta-feira (23 e 24 de Agosto). Os dirigentes que serão ouvidos pela polícia são o deputado federal Valdivino de Oliveira (PSDB) e Maurício Sampaio (ex vice-presidente do clube e sócio da Rádio 730 AM).

Um dos pontos a serem esclarecidos é a explicação do porque que o Atlético-GO enviou uma carta pedido que os funcionários da PUC TV Goiás e da Rádio Jornal 820 AM fossem impedidos de entrar nas dependências do clube. Lembrando que essas duas empresas eram os locais em que o Jornalista Valério Luiz trabalhava. Também foi comentado que em um ofício enviado à reitoria da PUC TV Goiás, foi pedido que o Valério fosse desligado da emissora, mas como a reitora da PUC-GO (Pontifícia Universidade Católica de Goiás), não atendeu ao pedido dos dirigentes atleticanos culminou então na proibição da entrada dos profissionais dessas duas empresas no clube rubronegro.


Valério Luiz vinha criticando bastante o Atlético-GO, clube também pelo qual ele torcia, devido a fase ruim em que o clube se encontrava e até hoje se encontra no Campeonato Brasileiro pois ainda está na zona de rebaixamento. Desde as finais do Goianão Chevrolet 2012 que o clube veio decaindo e com isso aumentaram as críticas da imprensa em cima dos jogadores, da diretoria, dos técnicos que por ali passaram, mais Valério foi mais ferrenho em suas críticas. Ele chegou a dizer: "Quando o barco afunda, os ratos são os primeiros a abandoná-lo". Lembrando que Maurício Sampaio(vice-presidente) e o Tenente-Coronel Wellington Urzêda (diretor de relações públicas) deixaram os cargos que ocupavam no clube.

Outro ponto também que causou polêmica ainda antes da morte do jornalista foi a saída de Charlie Pereira do Programa Mais Esportes (PUC TV Goiás). Charlie, que trabalhava também na Rádio 730 AM, na qual Maurício Sampaio é um dos sócios, segundo inforamçaões que surgiram na imprensa e também nas redes sociais, teria dando um ultimato ao diretor de esportes da rádio, cargo em que ele ocupa na Rádio 730 AM, para ele escolher de que lado ele estava, pois ele teria de escolher entre o Programa Mais Esportes e a Rádio 730. Como Charlie Pereira tinha o salário maior como diretor de esportes, ele decidiu então sair da PUC TV Goiás e ficar trabalhando somente na Rádio.
Charlie, visivelmente constrangido, disse ter sido comunicado pelo departamento de pessoal da 730, que por determinação superior, a partir daquele momento, estava sendo exigida a exclusividade dos seus serviços de coordenador e comentarista na Rádio 730.

Sendo assim, o Mais Esportes, através
do diretor de programação da PUC TV, Daniel Santanna, procurou Maurício Sampaio, proprietário da Rádio 730 para saber os motivos da decisão da emissora. Ele disse que após assistir o Programa Mais Esportes do dia 21 de junho, chamou Charlie em seu cartório e perguntou de que lado ele estaria e que lhe incomodava o fato dele trabalhar ao lado de Valério Luiz. Sampaio ainda teria dito que quem não está ao seu lado está contra ele.

São pontos a serem esclarecidos, o que não prova que esses dirigentes tenham realmente algo a ver com essa morte. Até então são somente divergências pessoais e caberá a polícia a decifrar esse caso, pois somente agora é que se reiniciaram as investigações. É importante frisar que ninguém até agora foi acusado!


Mas Valério Luiz não era só de criticar, era um ótimo comentarista, sem deixar de ser polêmico e por diversas ocasiões muito engraçado. Quem não se lembra na final do Goianão Chevrolet 2012 quando um internauta o provocou falando que ele era quem estava com uma cueca verde embaixo da calça e Valério Luiz desceu um pouco a calça, no Programa Mais Esportes, da PUC TV Goiás ao vivo e mostrou que a cueca que ele usava de fato era vermelha, uma das cores de seu clube, o Atlético-GO. Isso ocorreu porque alguns internautas começaram a falar que o árbitro da partida estava apitando com uma cueca verde embaixo do calção, fazendo uma alusão que o juiz estaria favorecendo o Goiás na final do campeonato, devido a cores do time ser verde. Valério Luiz provocou muitas risadas no estúdio e ficou famoso na internet por causa desse vídeo inusitado.

Valério Luiz tinha a marca de ser uma pessoa de personalidade e de opiniões fortes e contundentes, não ficava em cima do muro e se fosse para criticar, ele critava mesmo. Já passou por quase todas as emissoras de tv de Goiânia e trabalhava vários anos no ramo do jornalismo esportivo, inclusive chegou a trabalhar com o seu pai, o jornalista Manoel de Oliveira, mais conhecido como Mané de Oliveira.




3 comentários

Diogo em 24 de agosto de 2012 09:08

É verdade! O pessoal tá se esquecendo que ainda tem a saida de Charlie Pereira lá do Mais Esportes e que foi o Mauricio Sampaio quem pediu para ele escolher de que lá estava. Bem lembrado.

#JUSTIÇAPORVALERIOLUIZ

Anônimo em 24 de agosto de 2012 10:18

São coisas que nos deixam revoltados e a Justiça parece que sempre está do lado de quem tem mais poder. Lamentável tudo isso. Esperamos que no fim disso tudo seja mostrada a verdade e que para o bem de todos não seja coisa do futebol, caso contrario as pessoas se revoltaram contra o clube e contra os torcedores, que nada tem a ver com isso e passarão a sofrer represálias.

Sérgio em 24 de agosto de 2012 18:07

Histórias muito mau contadoas. Tem caroço nesse angu.

 
▲ Topo