Atlético-GO: Presidente Valdivino de Oliveira culpa assessor de imprensa de proibir a entrada da PUC TV e da Rádio Jornal no clube. Após essas declarações, Felipe Furtado pede demissão e deixa o Dragão!

  
Felipe Furtado não é mais assessor de imprensa do Atlético-GO

 SOBROU PRO ASSESSOR DE IMPRENSA!
Felipe Furtado sai do Atlético-GO por não concordar com declaração do presidente do time que o culpou por ser o responsável de proibir duas emissoras de entrarem no clube!

Valdivino de Oliveira, presidente do Atlético Clube Goianiense, em entrevista ao jornalista Adolfo Campos, da Rádio Difusora AM 640, de Goiânia , disse na noite do último dia 12 de Setembro (4ª feira da semana passada), que o responsável pela proibição da entrada dos profissionais da PUC TV e da Rádio Jornal AM 820 foi o assessor de imprensa, Felipe Furtado.

Perguntado sobre o porque de somente o Atlético-GO ter sido o time com a imagem associada ao assassinato do jornalista Valério Luiz, sendo que os outros da capital: Vila Nova, Goiás e Goiânia não tiveram, Valdivino disse que talvez isso ocorreu pelo processo de fazer com que o Atlético se desestabilizasse mas que ele não caminha por esse lado e que é uma questão de coincidência, já havia essa confusão com a Rádio Jornal e com a PUC TV e o assessor de imprensa definiu o caminho de proibir (a entrada dessas emissoras às dependências do Atlético-GO) por decisão dele e não nossas e assim  foi feito.

Após saber das declarações de Valdivino de Oliveira, Felipe Furtado, assessor de imprensa do Atlético-GO, não concordou com as afirmações feitas sobre a sua pessoa e pediu demissão do clube e agora não é mais funcionário do Atlético-GO. No outro dia, Felipe Furtado disse em Facebook:

Felipe Furtado
Me preocupo com minha consciência e não com minha reputação. Minha consciência é o que sou. Minha reputação é o que pensam de mim. E o que os outros pensam, é problema deles.

O que é bem estranho nisso tudo, é que como um presidente de um clube de futebol pode afirmar que o assessor de imprensa é quem foi o responsável pela proibição da entrada de veículos de comunicação no clube? Desde quando é atribuição de um assessor de imprensa fazer esse tipo de serviço? Onde estão seus superiores que não podem resolver essas questões? E Valdivino ainda disse que o Felipe foi quem definiu pela proibição e assim foi feito, ou seja então eles sabiam... e acataram sem questionar a  decisão de seu subordinado? 

Está parecendo mesmo é que Felipe Furtado foi colocado como bode espiatório nessa história, que convenhamos, está muito mal contada. Bem que a PUC TV e a Rádio Jornal 820 AM poderiam mostrar esse ofício para que fique um pouco mais clara essa situação. Felipe Furtado trabalhou inclusive na PUC TV ( na época a emissora ainda se chamava UCG TV ) onde comandava o Programa Extra Campo, no início da tarde, além de participar também do Programa Mais Esportes. Felipe saiu da emissora para ir trabalhar no Dragão.

Valdivino de Oliveira deixa a entender que as críticas do comentaristas ao clube e a proibição desses veículos de comunicação de adentrarem no Atlético-GO pode ter sido o motivo das pessoas associarem a morte de Valério Luiz ao clube pois pouco depois o jornalista foi assassinado. Ele disse também que espera que Deus possa esclarecer tudo isso e em outro momento disse sentir muito pois ele é pai, avô, assim como Manoel de Oliveira, pai do Valério, e que é amigo de Manoel de Oliveira. Valdivino classificou a morte do cronista como uma tragédia.

Além dessa declaração do presidente do Atlético-GO, Valdivino ainda comentou a atuação situação de crise pela qual o clube está passando e também comentou as contratações de treinadores nessa temporada, falou sobre Adson Batista, Maurício Sampaio, e que não terá nenhum cargo no clube e que ficará somente até dezembro não tendo interesse em concorrer a reeleição.

1 comentário

Reinaldo Pimentel em 18 de setembro de 2012 22:00

Esse povo do Atlético deve pensar que somos mesmo uns idiotas. O Felipe não tem permissão para tomar uma atitude dessas, ele era apenas um funcionário do clube. É evidente a tentativa da cúpula atleticana de desviar o foco de tudo. Daqui a pouco vão dizer que a culpa do time estar perdendo é da Superbolla que fabrica os unifomes do time e o uniforme está atrapalhando.

 
▲ Topo