Caso Valério Luiz: Secretário de Segurança Pública de GO emite nota de repúdio contra autoridades que foram pedir auxílio ao Min. da Justiça!


João Furtado - Secret. de Segurança Pública e Justiça de Goiás

SECRETÁRIO JOÃO FURTADO CRITICA PARLAMENTARES QUE FORAM A BRASÍLIA PARA PEDIR QUE POLÍCIA FEDERAL E MIN. DA JUSTIÇA ENTREM NAS INVESTIGAÇÕES DAS MORTES DE VALÉRIO LUIZ E DAVID SEBBA!




O Secretário de Segurança Pública e Justiça do Estado de Goiás, João Furtado de Mendonça Neto, emitiu uma nota repudiando a atitude de algumas autoridades do estado que foram a Brasília pedir ajuda do Ministério da Justiça e Polícia Federal no que diz respeito às investigações das execuções do Jornalista Valério Luiz , do advogado David Sebba, dentre outros.


Essa atitude do Secretário me parece muito contraditório, pois a Polícia Civil do estado de Goiás está em greve, assim como outros setores da polícia como os agentes, escrivães e peritos criminais, pois quem morre aqui em Goiânia está esperando no mínimo 5 horas para ter o corpo removido pelo IML, sendo que muitas vezes ultrapassa o período de até as absurdas 10 horas de espera como estamos acompanhando através da imprensa. E as investigações estão obviamente comprometidas, sendo que flagrantes não estão sendo feitos e consequentemente criminosos estão a solta. São tantos problemas recenetes que fazem somente agravarem mais o quadro da insegurança e da violência a que a Região Metropolitana de Goiânia e outras regiões do estado de Goiás vem sofrendo e que aumentou ainda mais esse ano.


Na nota o Secretário João Furtado não explica porque ainda não foram revelados mais detalhes das investigações dos assassinatos de Valério Luiz, e de outros homicídos e a que pé andam as investigações sobre as denúncias de um suposto grupo de extermínio que teria como integrantes, policiais militares, denúncia esta que veio à tona há algumas semanas atrás e que o Secretário minimizou e que o deputado Mauro Rubem, que é Presidente da Comissão dos Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Goiás, está fazendo o seu papel, indo atrás de resultados e buscando meios para que esses casos não sirvam apenas para engrossar as estatísticas e sim que sejam revelados os culpados dessas execuções.

João Furtado critica a atitude dessas autoridades justificando que isso é fruto de divergências partidárias e que trabalham com fatos e não são pautados por denúncias anônimas e nem por explorações das mesmas. Na continuação da nota, João Furtado diz: "Redudiamos qualquer tentativa de politização, partidarização, sindicalização e ingerência em investigações criminais, principalmente quando aquelas são direcionadas ao espetáculo e à defesa de interesses partidários, eleitorais e sindicais". O Secretário também lamentou as mortes do cronista Valério Luiz e do advogado David Sebba e se solidariza com os familiares das vítimas e que a polícia, segundo ele, trabalha firme para a elucidação desses crimes em um curto espaço de tempo.


Entretanto, a Sociedade Goiana não absorveu bem as declarações do Secretário de Segurança Pública e Justiça. A impressão que se tem é que ele impõe as divergências políticas acima das investigações e, que mal há na possibilidade da Polícia Federal e do Ministério da Justiça entrar no caso? Isso não seria uma intervenção no estado, seria sim uma ajuda e, pra sociedade, muito bem vinda diga-se de passagem, pois teriam instrumentos a mais para a agilização da conclusão das investigações e assim iria mais fundo ainda nas denúncias contra os militares, que até agora são denúncias e não se foi provado nada, mas custa investigar?


Ninguém está falando que foi fulano quem matou, quem deixou de matar ou que está matando. Isso quem tem de apontar é a polícia através de investigações profundas e apurando denúncias tanto anônimas quanto públicas, pois muitas denúncias anônimas podem ajudam nas investigações e dependendo do teor das apurações até solucionarem casos de crimes, como já vimos várias vezes no Brasil. O que os goianos esperam e anseiam é uma maior boa vontade do poder público pois pessoas estão morrendo e os criminosos estão soltos e amanhã não se sabe quem serão as próximas vítimas. De uma coisa todos consordam: Se fosse algum parente de algum político que tivesse sido assassinado, os criminosos já estariam apresentados e presos. Foi uma atitude desnecessária a do Secretário que deveria estender as mãos e se unir com essas autoridades e ele próprio esquecer essas picuinhas partidárias, pois ficando uns de um lado e outros do outro, o Secretário vem a fazer nada mais nada menos que essas mesmas autoridades que ele critica através dessa nota.


Acreditamos que esses casos e tantos outros serão realmente elucidados e temos esperanças de que cessem essas tais divergências políticas pois o que tem que aparecer de verdade é a Justiça, a resposta à sociedade de um trabalho elucidativo e de resultados, que faça com que os goianos voltem a acreditar na Segurança Pública e na classe política, seja ela da situação ou da oposição, pois acima de tudo isso está o bem estar e a segurança dos goianos que há de ficar acima de qualquer outro interesse pois a sensação de impunidade e ela propriamente dita, acaba arranhando a imagem de todos sejam eles políticos, militares, jornalistas, advogados, enfim o goiano como cidadão e ser humano é o que perderá com isso tudo!
Tanto a pasta da Segurança Pública como a Comissão dos Direitos Humanos e esses outros parlamentares terão sim é que trabalhar mais e mais para obterem resultados realmente satisfatórios para ajudar de fato o cidadão goiano, que são pessoas de bem e pagos impostos caros e altos salários para todos esses aí mencionados.


2 comentários

Anônimo em 2 de agosto de 2012 09:18

Deplorável, descabida, infeliz e desnecessária, além de amdadora essa nota do Secretário de Seg Pública aí de Goiás, nós é que devemos repudiá-lo assim como repudiamos também essa nota dele.


Meu Deus, que homem mais despreparado!

Michel em 2 de agosto de 2012 15:22

Tremenda BOLA FORA do Secretário. Como podem deixar esse homem nesse cargo? Que falta de preparo.

 
▲ Topo